ANÁLISE DO CONHECIMENTO DE SEGURANÇA E PRIVACIDADE DA INFORMAÇÃO

Isaac Teixeira de Souza, Ívina Pereira dos Santos, Charles Duarte Barbosa, Sávio de Brito Fontenele

Resumo


O presente trabalho é um estudo descritivo de campo com foco quantitativo, em que foi verificado o conhecimento sobre segurança e privacidade na internet e a transparência das empresas fornecedoras desses serviços. A população do estudo foi composta por usuários de serviços de aplicativos de redes sociais e internet banking, e a amostra composta por 366 sujeitos, selecionados de forma aleatória e por conveniência. Como instrumento para a coleta dos dados utilizou-se um questionário desenvolvido pelo autor, disponibilizado na internet, compartilhado por meio de redes sociais e aplicativos de mensagens. Os resultados apresentam que 71,6% os usuários não alteram as senhas com frequência e 53,6% não se sentem seguros na utilização dos sistemas e a maior parte 72,7%, não fazem a leitura das normas dos sistemas que utilizam. Sobre a navegação anônima de segurança de dados, 37,7% conhecem esse tipo de navegação, mas não utilizam, 32,2% conhecem e utilizam e 30,1% pesquisados não conhecem. Nessas perspectivas podemos considerar que as pessoas conhecem a segurança da informação, mas não utilizam meios como navegação privada e não tem hábito de alteração de senhas após um período para tornarem seus acessos mais seguros e confiáveis; e que falta conhecimento e educação para a utilização das tecnologias, o que pode gerar transtornos e problemas graves, como a violação de seu perfil em alguma rede social e/ou acesso aos seus dados bancários. Fazendo necessário que todos possam ter maiores conhecimentos sobre segurança e privacidade de dados, bem como colocar em prática no seu cotidiano ações de prevenção como alteração das senhas periodicamente e uso da navegação anônima em computadores de uso em comum.


Texto completo:

PDF

Referências


ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO/IEC 27002. Tecnologia da informação — Técnicas de segurança - código de prática para a gestão da segurança da informação. Rio de Janeiro, ABNT, 2005.

BRASIL. Constituição (2014). Lei nº 12965, de 23 de abril de 2014. Marco Civil da Internet. Brasilia, Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2017.

CARVALHO I. C. L.; KANISKI A. L. A sociedade do conhecimento e o acesso à informação: para que e para quem?, Brasília. 2000, v. 29, n. 3, p. 33-39. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v29n3/a04v29n3. Acesso em: 21 mar. 2017.

KLETTENBERG, J. Segurança da Informação: Um estudo sobre o uso da engenharia social para obter informações sigilosas de usuários de Instituições Bancárias. Dissertação de mestrado - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação. Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal de Santa Catarina, 160p. Santa Catarina, 2016.

LARA M. L. G.; Conti V. L. Disseminação da informação e usuários, São Paulo Perspec. [online]. 2003, vol.17, n.3-4, pp.26-34. ISSN 0102-8839. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-88392003000300004. Acesso em: 21 mar. 2017.

SÊMOLA, Marcos. Gestão da Segurança da Informação: uma visão executiva - Rio de Janeiro: Campus, 2003.

SIMEÃO E.; MIRANDA, A. O texto virtual e os sistemas de informação. Brasília: Thesaurus, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Isaac Teixeira de Souza, Ívina Pereira dos Santos, Charles Duarte Barbosa, Sávio de Brito Fontenele, José de Caldas Simões Neto

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Interdisciplinar Encontro das Ciências - RIEC | ISSN: 2595-0959 |

Faculdade Vale do Salgado

Rua Monsenhor Frota, 690

Bairro Centro | CEP: 63430-000 | Brasil, Icó-Ceará

Telefone: +55 88 3561-2760

E-mail: riec@fvs.edu.br