(88)3561.2760 | CONTATO | PARCERIAS | VESTIBULAR

Domingo, 26 Agosto 2018 13:44

Estágios

Avalie este item
(0 votos)

Duvidas Frequentes:

Tem previsão legal na lei nº 11.788/2008, que o define como o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo do estudante. Não caracteriza relação de emprego, pois não vínculos empregatícios.
Estágio obrigatório (curricular), quando este está pré-estabelecido na matriz do curricular do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação e obtenção do diploma. Estágio não obrigatório (extracurricular), quando é desenvolvido livremente como atividade opcional.
A carga horária não pode exceder às seis horas diárias e trinta horas semanais e deve constar no TCE (Termo de Compromisso de Estágio). No período de provas poderá haver redução de carga horária, pela metade, conforme estipulado no TCE, no entanto a instituição de ensino deverá comunicar a concedente as datas de realização das avaliações.
Na modalidade de estágio não obrigatório é compulsória a remuneração que pode ocorrer através da concessão de bolsa ou por outra forma de contraprestação. Também é obrigatória a concessão de auxílio transporte na modalidade de estágio supracitada.
O prazo máximo é de até dois anos para o mesmo concedente, exceto quando o estagiário for portador de deficiência. Para os possíveis formandos, na modalidade de estágio não-obrigatório: O discente que for se formar no primeiro semestre do ano letivo, poderá estagiar até o dia 31 de julho do ano corrente; O discente que for se formar no segundo semestre do ano letivo, poderá estagiar até o dia 31 de janeiro do ano consecutivo.
De trinta dias a cada doze meses de estágio na mesma Empresa ou, o proporcional ao período estagiado se menos de um ano. Não há abono de férias, 1/3. A Legislação do estágio não contempla o 13º salário. A rescisão antecipada do Contrato de Estágio, independentemente da iniciativa, preserva o direito do Estagiário quanto ao recesso remunerado;
Diferentemente da CLT, a Legislação do Estágio não estabelece um piso mínimo para a Bolsa estágio, o valor da remuneração é definido de comum acordo entre as partes pactuantes no Contrato de Estágio;
É uma importante ferramenta, cujos resultados servirão para analisar as competências e direcionar o desenvolvimento profissional dos nossos alunos durante a sua formação acadêmica. Deve ser realizada a cada seis meses durante o período de duração do estágio.
O Núcleo de Empregabilidade é o responsável pela assinatura dos contratos de estágio, no entanto o estagiário deverá entregar os termos no Núcleo de Atendimento e terá o prazo máximo de 48 horas corridas para recebimento das vias assinadas. É compulsória a entrega de uma via do TCE ao Núcleo de Empregabilidade, devidamente assinadas.
1º PASSO:
O primeiro passo para o estabelecimento do contrato de estágio é entender as partes que o compõe:
Concedente: local onde o estagiário irá realizar as suas atividades;
Instituição de ensino: local onde o estagiário está cursando a graduação;
Agentes de Integração: seleciona locais de estágio e os possíveis estagiários para ocupar as oportunidades de estágio. Mediador entre as partes;
Estagiário: Discente, regularmente matriculado que ocupará a oportunidade de estágio.
2º PASSO:
Entender documentos que compõe o processo de estabelecimento do contrato de estágio:
TCE (Termo de compromisso de estágio): Acordo estabelecido entre as partes que prevê condições para a legalização do estágio, como por exemplo a carga horária;
Convênio de estágio: Acordo firmado entre a instituição de ensino e a concedente (quando o contrato for direto) ou entre a instituição de ensino e o agente de integração, quando houver mediação desses.
3º PASSO:
É optar pelo tipo de contrato de estágio que poderá ser:
Contrato direto: quando a concedente opta por estabelecer um contrato direto com a instituição de ensino, seguindo modelo de contrato estabelecido pela a mesma. Nessa modalidade de contrato a concedente ficará responsável pela contratação do seguro contra acidentes pessoais;
Convênio de estágio: Acordo firmado entre a instituição de ensino e a concedente (quando o contrato for direto) ou entre a instituição de ensino e o agente de integração, quando houver mediação desses.
4º PASSO - Seguro contra acidentes pessoais
O seguro contra acidentes pessoais deve abranger morte ou invalidez permanente, total ou parcial, provocadas por acidentes ocorridos com o estudante no território nacional, durante o período de vigência do estágio, 24 horas/ dia.
No TCE deve conter uma clausula com o número da apólice do seguro, o valor e o nome da agência bancária ou seguradora.
Quando a concedente opta pela modalidade de contrato direto, este deverá ser contratado pela mesma nas agências bancárias ou seguradoras.
5º PASSO - Plano de atividades e Supervisor
O plano de atividades deve está previsto no TCE e ser compatível com as atividades realizadas no estágio e a programação curricular do curso.
O supervisor de estágio deve ser indicado pela Concedente e possuir formação ou experiência na área de graduação do estagiário.
6º PASSO - Documentos necessários para a regularização do estágio
O termo de compromisso devidamente assinado pelas partes;
O certificado individual de seguro contra acidentes pessoais;
Comprovação da regularidade da situação escolar do estudante;
Verificação da compatibilidade entre o plano de atividades e do supervisor com a programação curricular do curso.
Lido 96 vezes Última modificação em Domingo, 26 Agosto 2018 23:58
Mais nesta categoria: « Casos de Sucesso